Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Like A Man

26 de Setembro, 2019

Todos nós deviamos ter Greta Thunberg na voz

Filipe Gil

greta-thunberg-4.jpg

Acordo, mas não acendo as luzes. Vou ao WC para as primeiras necessidades do dia e despejo o autoclismo, duas vezes. Fico minutos a olhar para a estupidez. Como é possível gastar água potável, que podia ser bebida, com dejetos? Penso nisso desde criança.

Rumo ao frigorífico e faço o leite para os putos lá de casa. Demoro tempo a mais a decidir o que vou comer e tento acordar com o frio que vem de dentro da caixa branca. Olho para o gelo que se vai formando no fundo do frigorífico. “The Winter is Coming”, penso sempre nessa frase quando vejo o branco a tomar conta da traseira do frigorífico. Por momentos penso na energia parva que estou a gastar e como não estou a fazer nada para melhor o ambiente do planeta.

Logo de seguida, coloco as palhinhas de alumínio que comprei para substituir as de plástico. Sinto-me melhor. Parece que acabei de salvar o mundo com aquele gesto.

Depois de tudo feito, venho para o trabalho. Num carro de dois lugares, pequeno e a diesel. Olho para os outros carros, sou metade deles, mas tenho o dobro da esperteza, arrumo quase sempre sem dificuldade. Mas sinto-me mal. Sim é um carro a diesel e deve poluir nas horas. Penso que um dia será tudo elétrico.

No caminho olho para Monsanto de um lado, o que me dá paz, e do outro as plantações de casas ali para os lados da Amadora. Demasiados telhados encarnados e pouco verde.

Penso cada vez mais no planeta. As palavras da ativista Greta Thunderberg não me saem da cabeça. Quero juntar-me à causa. Penso que devia ajudar uma ONG qualquer, mas não sei como. Doando dinheiro através de uma APP? Plantando árvores?

Sobretudo penso que devia optar por medidas mais drásticas no meu dia a dia para ser mais sustentável e influenciar os meus. As palhinhas de alumínio e a substituição dos sacos de plásticos pelos de pano são medidas que não me satisfazem. Não quero dar em fundamentalista, estou demasiado velho para tal. Mas gostava de contribuir. Alguma ideia desse lado?

5 comentários

  • Imagem de perfil

    Filipe Gil

    11.11.19

    Com comentários tão egocentricos "eu é que isto, eu é que aquilo" achei por bem não estragar a sua onda e deixá-lo a escrever sozinho. Afinal, é o dono(a) da verdade?! Certo?
    Nas Américas há dois assim, um no Norte e outro no Brasil.
  • Eu disse:
    Há problemas actualmente e a sua preocupação é com eventuais problemas futuros! Há outras causas, não quer fazer nada por elas?
    E diz que eu sou egocêntrico! Preocupe-se 1º com os problemas actuais e só depois se for caso disse com os outros, a não ser que não se queira preocupar com os problemas dos outros!

    Se há aqui alguém dono da verdade é você, pois o artigo que Pedro Nogueira indicou, indica outros artigos e um documento enviado para a ONU por cerca de 500 cientistas de vários países onde diz claramente "There is no climate emergency.". Agora se não quer ver...

    O que seria normal e esperado é que fosse ver o artigo e o comentasse, em vez de dizer isto.
  • Imagem de perfil

    Filipe Gil

    12.11.19

    Há uma grande, enorme, diferença entre comentários e juízos de opinião. Quem lhe diz a si que não me preocupo com os problemas do presente. Quem lhe diz que não contribuo à minha maneira, e dentro do que me é possível, para ajudar outros?

    Agora, outra coisa, para além dos problema actuais, há os problemas do futuro. Se nada mudar, se não fizermos as empresas mudarem, daqui a menos de 20 anos - e devemos estar ambos vivos, se tudo correr bem - milhares de pessoas vão sofrer. Ficar sem espaço para viver, morrer atoladas em lamas ou em marés que crescem com o aumento do nível das águas. etc. Se todos nós mudarmos 10 por cento da nossa vida, o que é muito pouco, talvez, e sublinho talvez, se mude um pouco o estado actual das coisas.


    Mais miúdas como a Greta são necessárias.
  • Como tem de compreender, eu acredito no que vejo. Vi alguns dos seus post e são sobre carros, motos, etc, e este sobre o ambiente. Se se preocupa com outras causas mas não fala nelas aqui, talvez não precisasse de falar na Greta aqui! Além disso no meu 1º comentário perguntei se alguém queria juntar-se a mim numa causa, não houve resposta!

    Qualquer pessoa de bom censo percebe que nem tudo é igual, existem prioridades. Além disso os problemas actuais têm prioridade sobre os eventuais problemas futuros, pois estão mesmo agora a acontecer!

    E mais uma vez sobre o artigo que diz "There is no climate emergency.", nem uma palavra. É comum pessoas que defendem o ambiente, etc, não quererem ver nada que contrarie isso.
    O artigo diz por exemplo:
    Quando ele me pergunta se é verdade que o planeta vai acabar em 12 anos respondo que há décadas que os alarmistas do clima da ONU tentam convencer as massas que era suposto já termos sido engolidos pelo mar e os humanos, extintos.

    "Daqui a menos de 20 anos milhares de pessoas vão sofrer se o nível o oceano subir", está enganado! Não sei onde foi buscar essa data, mas caso isso aconteça, será um processo lento, logo têm muito tempo para arranjarem outras soluções. O homem sempre viveu onde haviam condições para viver, e continuará a ser assim!

    Devia também pensar como a Greta com 16 ou 17 anos, sabe mais que os outros com muito mais anos de vida. Para ela não existe mais nada além da eventuais alterações climáticas, quando existe muito mais! Por exemplo:
    Mas o que realmente me preocupa são os seres humanos: que no século XXI haja milhões de crianças sem assistência médica, sem vacinação e sem acesso à escola.
    https://rr.sapo.pt/2019/10/01/cristina-sa-carvalho/querida-greta/artigo/166587/
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.