Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Like A Man

05 de Novembro, 2016

Colaboração Puma + STAMPD LA dá nisto:

LiAM
A marca alemã Puma tem-nos habituado, nos últimos anos, a colaborações com várias marcas, designers ou até mesmo cantores, como é o caso da Rhiana. Agora apresenta-nos esta colaboração com a marca norte-americana STAMPD LA, a quarta parceria entre estas duas marcas. E é caso para dizer, deu nisto:16aw_btl_sp_select_stampd_1016aw_btl_sp_select_stampd_15[gallery ids="358,359,360,361,362,363" type="rectangular"] 
04 de Novembro, 2016

O momento em que sucedemos aos nossos pais

LiAM

hands

Já passei a barreira dos 40 anos e não tenho filhos. Não tenho filhos, mas tenho amigos. Amigos que têm filhos e felizmente ainda têm pais. São eles, os meus amigos, a ponte entre duas gerações afastadas por umas boas dezenas de anos. Uns, os miúdos, crescem e florescem cheios de vida, outros envelhecem da forma mais graciosa possível, tentando não ser um peso na já de si intensa e, por vezes, frágil dinâmica familiar. Pelo contrário, parece-me bastante evidente que cada vez mais as jovens famílias portugueses se apoiam nas suas já não tão jovens famílias. Um apoio emocional, afectivo, mas também muito efectivo. Logístico, até. É preciso ir buscar o mais velho à escola, o avô vai. É necessário dar o jantar à mais nova, a avó faz e a avó dá (ou vice versa para não correr o risco de ser sexista). A verdade é que esta é uma realidade cada vez mais presente nas famílias portuguesas. Os avós são, de facto, pais duas vezes.

 

 

 

 

03 de Novembro, 2016

5 razões para comprar uma scooter!

LiAM

piaggiomedley


Há vários motivos para comprarmos uma mota. O primeiro é simples: “porque sim! ”. O segundo motivo é por, sem dúvida alguma, ser um meio de transporte muito eficaz, económico e ecologicamente interessante para nos movimentar-nos nas nossas cidades, ou até mesmo para viajar pelas autoestradas.Mas isto de motas é um verdadeiro mundo, desde o estilo à cilindrada. Por isso, e porque iremos voltar a este assunto várias vezes, vamos por ora, focarmo-nos apenas nas scooters.

 

02 de Novembro, 2016

As 20 regras do cavalheirismo

LiAM

rulesEthan Hawke, mais do que um óptimo actor, tem mostrado ser um artista multifacetado. Para além de cineasta é ainda escritor. Escreve argumentos, mas também livros. O último deles chama-se “Rules for a Knight”. Algo como “Regras para um Cavaleiro” em português, sendo que numa tradução mais livre podemos substituir Cavaleiro por Cavalheiro. É, de resto, esse o foco do livro. O que podemos aprender com o modo como se comportavam noutros tempos estes “Cavaleiros”, e o que fazia deles verdadeiros Cavalheiros.O próprio Ethan Hawke explica: “Sempre gostei desta ideia de cavalheirismo, o que nos pode fazer ser uma pessoa melhor.”Deixamos-vos aqui as vinte regras transcritas pela Farnam Street. Acreditamos que temos todos a aprender com elas, sobretudo sobre o que é isto de viver com um propósito, ser honrado e, acima de tudo, boa pessoa. Bom para ler e partilharmos com os nossos filhos.

  1. SOLIDÃO
    Arranje tempo para estar sozinho, consigo mesmo. Ao procurar a sabedoria e a clareza da sua própria mente, o silêncio será sempre uma ferramenta útil. A voz do nosso espírito é suave e não pode ser ouvida quando tem de competir com os outros. Tal como é impossível ver o seu reflexo na água turva, assim também é com a alma. Em silêncio, podemos sentir a eternidade a dormir dentro de nós.
  2. HUMILDADE
    Nunca anuncie que é um cavalheiro. Simplesmente comporte-se como um. A regra a interiorizar é simples: não sou melhor do que ninguém, e ninguém é melhor do que eu.
  3. GRATIDÃO
    A única resposta inteligente ao dom contínuo da vida é a gratidão. Por tudo o que tem sido, um cavalheiro diz: "Obrigado." Por tudo o que está por vir, um cavalheiro diz: "Sim!"
  4. ORGULHO
    Nunca finja que não é um cavalheiro, ou tente diminuir-se porque acha que isso fará o outro sentir-se mais confortável. A melhor forma de mostrarmos aos outros o máximo respeito será oferecendo o melhor de nós mesmos.
  5. COOPERAÇÃO
    Cada um de nós está a fazer o seu próprio caminho. Nascemos em momentos específicos, em lugares específicos, e os nossos desafios são únicos. Como cavalheiros, entender e respeitar a nossa distinção é vital para a nossa capacidade de aproveitar a nossa força colectiva. O uso da força pode ser necessário para nos protegermos numa emergência, mas somente através da justiça e cooperação podemos ser bem sucedidos enquanto líderes. Devemos viver e trabalhar juntos como irmãos ou perecer juntos como tolos.
  6. AMIZADE
    A qualidade da sua vida será, em grande medida, decidida pela qualidade das pessoas por quem decide rodear-se.
  7. PERDÃO
    Aqueles que não conseguem perdoar facilmente não vão conseguir manter muitos amigos. Procure o melhor nos outros.
  8. HONESTIDADE
    Uma língua desonesta e uma mente desonesta desperdiçam tempo e, portanto, não são mais do que uma forma de desperdiçarmos as nossas vidas. Estamos aqui para crescer e a Verdade é a água, a luz e o solo a partir do qual nos elevamos. A armadura da falsidade é subtilmente forjada da escuridão e esconde-nos não apenas dos outros, mas da nossa própria alma.
  9. CORAGEM
    Tudo o que brilha deve conseguir resistir às queimaduras.
  10. GRAÇA
    Graça é a capacidade de aceitar a mudança. Seja aberto e flexível; tudo o que está fragilizado, acaba por quebrar.
  11. PACIÊNCIA
    Não existe tal coisa como uma “oportunidade única na vida”. Uma mente apressada é uma mente frágil; Não pode ver claramente ou ouvir com precisão; Vê o que quer ver, ou ouve o que tem medo de ouvir, e perde muito. Um cavalheiro faz do tempo seu aliado. Há um momento para a acção, e para uma mente limpa esse momento é óbvio.
  12. JUSTIÇA
    Só há uma coisa pela qual um cavalheiro não tem paciência: a injustiça. Todo o verdadeiro cavalheiro luta pela dignidade humana em todos os momentos.
  13. GENEROSIDADE
    Nascemos sem nada e é sem nada que vamos desta para melhor. Seja frugal para poder ser generoso.
  14. DISCIPLINA
    No campo de batalha, como em todas as coisas, a sua performance será igual à forma como pratica. Com a prática, construímos a estrada para realizar os nossos objectivos. A excelência vive na atenção aos detalhes. Dê tudo de si, durante o tempo todo. Não guarde nada para a “segunda parte”. Quanto melhor um cavalheiro se prepara, menos disposto estará a render-se.
  15. DEDICAÇÃO
    Esforço medíocre, resultado medíocre. Tome medidas diárias para melhor seguir estas regras. A sorte será sempre o resíduo do nosso desígnio maior. Seja firme e lembre-se: a bigorna supera o martelo.
  16. DISCURSO
    Não fale mal dos outros. Um cavalheiro não divulga a notícia de que não sabe estar certo, nem nunca condena coisas que não compreende.

  17. Às vezes, para entender mais, precisamos de saber menos.
  18. IGUALDADE
    Cada cavalheiro mantém a igualdade humana como uma verdade inabalável. Um cavalheiro nunca está presente quando homens ou mulheres estão a ser degradados ou comprometidos de qualquer maneira, porque se um cavalheiro estivesse presente, aqueles que cometeram os actos ou palavras nocivas seriam obrigados a parar.
  19. AMOR
    O amor será sempre o objectivo final. É a música de nossas vidas. Não há obstáculo que o amor (na dose certa) não possa mover.
  20. MORTE
    A vida é uma longa série de despedidas; apenas as circunstâncias nos podem surpreender. Um cavalheiro deve apenas preocupa-se com a gratidão pela vida que lhe foi dada. Ele não teme a morte, porque o trabalho que um cavalheiro começa, outros podem terminar.

  

01 de Novembro, 2016

Ter mundo

LiAM
transfagarasan-main-1024x682Esta é uma das expressões que mais gosto: Ter Mundo! Quer dizer que somos vividos, temos conhecimento, já fomos a sítios. Conhecemos outras realidades. É como ser uma espécie de James Bond intelectual. Umas vezes no Mónaco a conduzir um clássico descapotável outras vezes montados num BMW de duas rodas a fazer curvas dos Alpes suíços.Claro que não basta a teoria, pois ter mundo também é ter experiência na prática. Muitos de nós já viveu fora, ou passou uma temporada algures em nenhures. Aliás, os jovens do norte da Europa têm por hábito fazer umas poupanças enquanto estudam (trabalham quase todos) e antes de se dedicarem à vida profissional e familiar, passam um ano fora do seu país. Ora em locais mais tropicais ora a viajar pelo mundo. Isto para, lá está, Ter Mundo e estarem mais preparados para os desafios do futuro.E, claro, vocês agora perguntam: e nós, os quarentões, como fazemos para ter mundo? É uma boa pergunta e antes de ser respondida há que escrever que os tempos hoje não estão fáceis. Uns são “sortudos” e ainda conseguem pessoal e profissionalmente desligar-se durante uns tempos. Mas são um pequeno, pequeníssimo nicho. Os outros, nós, temos contas para pagar, filhos para educar, mulheres para amar (gostaram de ter posto no plural, não gostaram?) e muitas obrigações.Ora, e para nós, temos que fazer pela vida? No meio de tanta dificuldade (e obrigações) temos que fazer escolhas!Baralhados? Sim? Eu explico. Enquanto não vão àquela viagem que tanto almejam (com ou sem família) podem procurar esse mundo por diversas maneiras:Na Internet: podemos ter mundo na ponta dos dedos. Basta gerir melhor o que fazemos com ele. Passem menos tempo no Tinder ou no Whatsapp e gastem-no a seguir as contas de pessoas que fazem a diferença. E podem fazê-lo via Facebook, Instagram, Twitter. Basta escolherem pessoas, influenciadores da vossa área de interesse. Por exemplo este senhor. Um tipo fantástico. Conheciam?Nos livros: ainda se lembram o que é? Brincadeira. Nada como ler um belo clássico. Acreditem que a maioria das mulheres até gosta de tipos intelectuais. Porque não o que o Miguel Sousa Tavares andava a ler no último verão: ler os clássicos russos! Comecem com o Ivan, o Terrível. Não se vão arrepender.Nas revistas: sim, pode-se "viajar" muito em revistas. Não só pelas fotos mas por escritos fantásticos que nelas se encontram. E aqui é à vontade do freguês, ou vão a fantástica (sou fã) Monocle (que podem ler e ouvir e ver o vídeo abaixo) ou na Internet conseguem encontrar coisas fantásticas como esta (está por lá um artigo meu, mas é apenas um pormenor).Afinal não somos assim tão desgraçados, pois não?http://www.youtube.com/watch?v=kexBA6SM7Jg

Pág. 3/3